uk flag

  COZINHALTERNATIVA  

tinymce.init({ selector: "textarea", formats: { bold: {inline: 'b'}, italic: {inline: 'i'} }, valid_elements: "b,i,b/strong,i/em" toolbar: "bold italic underline" });
cozinhAlternativa
Receitas veganas • Culinária simples

Hidratante corporal e facial Vegano

Para pele seca

 

Quando eu decidi ser vegana, eu sabia que a mudança seria muito mais ampla do que somente “parar de consumir animais” na alimentação. Eu já estava em um processo de desaceleração, pouco consumo e muita reflexão sobre meus hábitos. Eu sabia que pouco adiantava substituir todos os meus cosméticos e produtos de limpeza por produtos veganos e cruelty-free, na verdade, adianta, óbvio, mas o mais importante é realmente repensar o consumo de maneira geral.

Para que vocês entendam um pouco a minha relação com os cosméticos eu preciso contextualizar que eu era viciada, mesmo, em comprar maquiagem, hidratantes, shampoos… Tudo o que vocês imaginam eu comprava em quantidades absurdas e acreditando que eu necessitava de cada produto daquele. Outro hábito terrível que eu tinha era de não usar as coisas até o fim, eu tinha muitos shampoos por exemplo, para serem terminados e eu já ia e comprava um ou dois tubos novos. Isso me dava uma alegria (por apenas alguns minutos, claro). No fim lá estava eu no meio de uma montanha de embalagens plásticas, produtos testados em animais, produtos vindos de grandes corporações…

O meu discurso? O mais lindo de todos né amores, apesar de não ser vegana nessa época citada acima, eu já me considerava um ser mega consciente (kkkk coitada), eu trabalhava em uma comunidade extremamente pobre e vulnerável, tinha contato com pessoas de todos os tipos e vivências. Eu na teoria já sabia que o capitalismo vende a ideia de felicidade através da compra, que essa felicidade é efêmera (se é que de fato existe), que as grandes indústrias estavam destruindo o nosso planeta, explorando animais humanos e não humanos etc etc. Mas, na prática eu não conseguia passar na frente de uma PanVel (rede de farmácia famosa em Porto Alegre) e não sair de lá com uma base nova, um shampoo novo, uma sombra… 

O meu primeiro passo pra sair desse vício de comprar cosmético foi fazer um contrato comigo mesma onde eu terminaria tudo que eu tinha, para depois substituir por produtos veganos e cruelty-free. Foi sofrido (white people problems eu sei). Como toda dependência é óbvio que eu senti muuuuito não comprar essas coisas e ter que usar cada tubinho “velho” até o fim. Até aí eu ainda estava com o mesmo funcionamento “vou terminar todos esses e depois lotar meu armário com coisas veganas e cruelty-free” eu não via a hora de sair comprando tudo quanto é coisa vegana que eu via pela frente. 

A minha sorte é que nessa de terminar tudo que eu tinha, passaram-se 3 meses (eu tinha muita tralha, vocês não imaginam) eu comecei sentir uma alegria imensa por não comprar mais produtos desnecessários para a minha existência e subsistência. Eu me senti empoderada, passei usar menos maquiagem, passei a lavar o rosto somente com água e as vezes o cabelo também. Vi que a pele estava melhor do que nunca, assim como o cabelo. A melhor e mais importante mudança foi interna mesmo, a alegria de viver com menos, a economia financeira por não comprar tanta tranqueira, o sentimento de estar rompendo com o consumo desenfreado de cosmético que é algo tão empurrado para nós mulheres.

Vende-se uma ideia de que nós envelhecemos, ficamos feias e mal cuidadas se não compramos 2o384u45 tipos de cremes, produtos para o cabelo e se não rebocarmos o rosto com quilos de maquiagem. Hoje eu entendo que se cuidar, se amar, se ver bonita e cheia de vida pouco tem a ver com a quantidade de dinheiro que você gasta com cosméticos. Você pode ter uma rotina de beleza feita com produtos da terra, ingredientes baratos e sem crueldade e ainda sentir aquele quentinho na alma por não precisar, repito, não precisar recorrer aos cosméticos tradicionais.

Eu passei a dizer que era vegana quando não comprei mais cosméticos comuns (testados em animais). Foi uma transição de aproximadamente 4 meses, de muita reflexão e autoconhecimento. É lógico que a minha trajetória e aprendizado sobre o consumo não é ideal, eu ainda estou tentando lidar com o consumo de roupas, por exemplo, mas esse é um tema para um próximo post.

É importantíssimo ter humildade pra enxergar onde a gente está errando, e em segundo lugar, coragem e determinação para agir. Hoje a minha vida é muito mais leve, com menos acúmulo de lixo, e pasmem, eu não me tornei um ser descuidado, desleixado, muito pelo contrário, hoje quando decido ter meu diazinho de Spa eu curto bem mais do que quando passava aquele produto caríssimo no rosto por 2 minutos, checando o celular e pensando no trabalho… O consumo de produtos é vendido para nós como a única forma de termos auto cuidado. Ainda bem que os tempos estão mudando, as pessoas estão cada vez mais críticas com relação ao consumo e estamos juntas nos libertando dessa mentira que nos contaram por tantos anos.

A mensagem final que eu quero deixar aqui é que mesmo você já sendo vegana, vegano, não caia no conto da compra alucinada de produtos cosméticos. Eu sei a importância de termos opções veganas e cruelty-free, mas não esqueçam que no final o objetivo dessas empresas ainda é o lucro. Procure comprar de empresas menores, pesquise a marca antes de realizar a compra, veja se quem está por trás daquele business é vegano e compartilha dos mesmos valores que você. E algo que funcionou e funciona para mim até hoje é: Pense 2, 3, 4 vezes se aquele produto que você está querendo comprar é realmente necessário, e você vai ver que na maioria das vezes não é, e você desiste da compra. 

 

Reflita, reduza e se for comprar, compre com consciência ♥

 

Indo para a receitinha de hoje, esse é um hidratante que uso há algum tempo, feito com ingredientes veganos e naturais. Eu sofro com pele seca, meu rosto, cotovelos, pés, pernas e mãos são bem secos :( Antes de encontrar essa formulazinha mágica eu tentei várias coisas como aloe vera, receitas com abacate, e nenhuma delas foi tão satisfatória como essa. Eu uso como hidratante após o banho no corpo todo (se eu estou com pressa passo nas partes mais secas apenas). No rosto eu utilizo como máscara, deixo bastante tempo, por exemplo quando sei que vou ficar em casa o dia todo. Depois lavo o rosto com água e uma buchinha (delicadamente). Essa misturinha também é meu demaquilante, gente, sai tudo e ainda trata a pele. Então é isso, espero que vocês gostem. Compartilhem com todo mundo ♥

 

Ingredientes

3 colheres de sopa de manteiga de Karité (compre uma manteiga que seja cruelty-free e preferencialmente linkada ao Fair Trade)


3 colheres de sopa de azeite de oliva ou óleo de coco (pode ser óleo de amêndoas também)


15 gotas de óleo essencial de Ylang-Ylang (ou o óleo essencial da sua preferência)

 

Modo de Preparo

 

  • Em uma panela média ferva 1 ou 2 litros de água. Em um recipiente de vidro, derreta em banho maria os óleos (exceto o óleo essencial)

 

  • O processo é meio lento, está tudo bem. Não seja apressada nessa parte, é importante que os óleos derretam lentamente, sem queimar ou atingir uma temperatura mais elevada

 

  • Quando os óleos estiveres quase derretidos, adicione as gotas de óleo essencial e mexa com uma colher para misturar bem

 

  • Deixe esfriar até ficar sólido novamente. A manteiga de carité tem essa característica mais sólida, ela leva em torno de 1 hora para solidificar em temperatura ambiente, mas, você pode colocar na geladeira para acelerar o processo. Cuidado para não esquecer na geladeira e endurecer demais os óleos

 

  • Após a solidificação bata com uma batedeira até formar um creme. Se você não tiver batedeira pode utilizar um processador de alimentos, um garfo ou um fouet (na batedeira é mais simples)

 

  • Após atingir uma textura pastosa e aveludada é só guardar em um potinho (de vidro reutilizável de preferência) e usar sempre que quiser ♥

 

  • Esse hidratante dura muito pois você não precisa usar muito para sentir a sua pele devidamente cuidada e brilhosa. Não tem prazo de validade, apenas guarde em um local seco, longe do sol ou temperaturas muito quentes ou muito frias

 

 

O que você achou dessa receita? Deixe um comentário e Compartilhe esse post:D

Compartilhar este post:

Comments ( 6 )

  • Monalysa Correia

    Olá, Van! Aqui em minha região, nordeste, os óleos não costumam ficar sólidos, devido a temperatura, eles já ficam naturalmente líquidos. Então no meu caso, esse passo do banho maria seria somente para derreter a manteiga de karité, não é isso?
    Depois misturo com o óleo de coco e o óleo essencial, e deixo esfriar para a manteiga solidificar novamente, depois só bater para formar o creme, estou certa? rs Beijão!!

    • Van Machado

      Oiii amore tudo bem? Isso, a manteiga de Karite é bem sólida e densa, o banho maria serve pra misturar bem todos esses óleos, junto com o óleo essencial também. Mesmo que seu óleo de coco esteja já líquido, adicione ele no banho maria também para fazer a mistura desses óleos, depois resfrie, depois bata para virar um creme mais leve. Se precisar de ajuda é só escrever! beijão

  • Sônia

    Essa receita pode ser usada todos os dias para o rosto ou só como máscara? E se só como máscara, qtas vezes por semana? Obrigada!

  • Lidiane

    O óleo, posso usar de semente de uva (ou qquer outro q queira, sebdo vegetal) no lugar do oleo de coco?

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *